A Associação Brasileira do Veículo Elétrico divulgou nota oficial nesta terça (24/4) em que apoia o edital da Prefeitura de São Paulo que abre a licitação para os novos contratos do transporte público municipal (aqui).

Assinado pelo presidente da ABVE, Ricardo Guggisberg, o texto destaca especialmente o fato de o conjunto de editais ter mantido, em sua versão final, os cronogramas anuais de corte de poluentes da frota de ônibus.

“Trata-se de um grande passo, que pode conferir à atual legislação paulistana a liderança da agenda do transporte público sustentável nas cidades brasileiras” – afirma a nota.

A ABVE também disse esperar que o atual prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anuncie o mais cedo possível a regulamentação da Lei Ambiental 16 .802/2018.

Desde 2016, a ABVE tem atuado intensamente junto à Câmara Municipal e ao Executivo para defender uma lei ambiental moderna e um edital com regras claras para a mudança dos ônibus a diesel por veículos elétricos em São Paulo.

ÍNTEGRA

ABVE APOIA METAS AMBIENTAIS NO EDITAL DOS ÔNIBUS DE SÃO PAULO

A Associação Brasileira do Veículo Elétrico saúda a publicação, neste dia 24 de abril, dos editais da licitação que renovará os contratos entre a Prefeitura de São Paulo e as empresas de transporte municipal, especialmente pelas inovadoras metas ambientais ali contidas.

A ABVE destaca, em particular, os cronogramas anuais de redução de poluentes (CO², NOx, e MP) que deverão ser seguidos pelas concessionárias dos sistemas Estrutural, Regional e Local.

Trata-se de um grande passo, que pode conferir à atual legislação paulistana a liderança da agenda do transporte público sustentável nas cidades brasileiras.

A ABVE sempre defendeu que a necessária transição da atual frota de ônibus a diesel de São Paulo para veículos elétricos e híbridos (ou movidos a outras energias renováveis) deveria seguir um calendário anual gradativo e prudente, porém rigoroso.

Tais cronogramas são essenciais para se atingir a meta de redução de 100% de poluentes dos ônibus nos próximos 20 anos, fixada na recente Lei Ambiental 16.802/2018.

Os editais publicados pelo secretário de Transportes João Octaviano contemplam essa expectativa, ao preservar o essencial da primeira versão divulgada em dezembro pelo então secretário Sergio Avelleda.

A ABVE espera, agora, que a Prefeitura regulamente o quanto antes a Lei 16.802.

A associação que representa toda a cadeia produtiva do veículo elétrico no Brasil tem plena confiança de que o prefeito Bruno Covas não permitirá que detalhes legais ameacem o sucesso da presente licitação e a eficácia da mais avançada legislação do país sobre transporte público sustentável.

Ricardo Guggisberg, presidente da ABVE

São Paulo, 24 de abril de 2018