Em votação realizada no final de abril, os associados da ABVE reelegeram Ricardo Guggisberg para um novo mandato de dois anos como presidente da entidade.

O novo Conselho Diretor e a Diretoria Executiva serão formados por:

Conselho Diretor:

Ricardo Guggisberg – MES Eventos;

Island Faria Costa – Cooltra;

Iêda M. A. de Oliveira – Eletra;

Thiago Sugahara – Toyota;

Válter Luiz Knihs – WEG;

Juliano Mendes – Moura;

Adalberto Maluf – BYD.

Diretoria Executiva

Ricardo Guggisberg: Presidente Executivo – MES Eventos;

Iêda M. A. de Oliveira: Vice-Presidente de Pesados – Eletra;

Thiago Sugahara: Vice-Presidente de Leves – Toyota;

Island Faria Costa: Vice-Presidente de Levíssimos – Cooltra;

Juliano Mendes: Vice-Presidente de Componentes – Moura;

Danilo Leite: Vice-Presidente de Infraestrutura – CPFL.

Diretores

Adalberto Maluf: Diretor de Pesados – BYD;

Ayrton Amaral: Diretor de Pesados – Volvo;

Curt Axthelm: Diretor de Pesados – Mercedes-Benz;

Paulo Kagohara: Diretor de Pesados – MAN Latin America;

Leandro Giacon: Diretor de Leves – Porsche;

Sílvia Barcik: Diretora de Leves – Renault;

Guilherme Hannud: Diretor de Levíssimos – Cicloway;

Luciana Giles: Diretora de Levíssimos – Cummins;

Márcio Marques: Diretor de  Levíssimos – Wind;

Rodrigo Affonso: Diretor de Levíssimos – LEV;

Rose Alves Dias: Diretora  de Levíssimos –  Compact Car;

Rubens Felipe Figueiredo: Diretor de  Levíssimos – Bull;

Rui Almeida: Diretor de Levíssimos – Riba Motos;

Válter Luiz Knihs: Diretor de Componentes – WEG;

Oswaldo Profeta: Diretor de Componentes – Bosch;

Renata Falcão: Diretora de Infraestrutura – Eletrobras;

Antonieder Ribeiro Motta: Diretor de Infraestrutura  – Teleperformance;

Eduardo Sousa: Diretor de Infraestrutura – Electric Mobility Brasil;

Milton Santos: Diretor de Infraestrutura  – Copel;

Paulo Maisonnave: Diretor de Infraestrutura – Enel.

PRIORIDADES

Segundo o presidente, as prioridades do próximo mandato são as seguintes:

1-Defesa do corte do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os veículos elétricos, no mínimo equiparando as atuais alíquotas de 25% e 13% à de 7% dos carros flex comuns (1.0).

2-Apoio às metas de eficiência energética, inovação tecnológica e mudança da matriz de combustível previstas no novo regime automotivo Rota 2030, a ser lançado pelo Governo Federal.

3-Fiscalização do cumprimento da nova lei ambiental da cidade de São Paulo (Lei 16.802/2018) e do edital que deverá dar início à troca dos atuais ônibus a diesel por veículos elétricos e híbridos.

4-Estímulo à criação de redes de eletropostos nas ruas das principais cidades brasileiras, a começar de São Paulo, com apoio do Executivo, Legislativo e empresas privadas.

5-Ações para o desenvolvimento do mercado de veículos levíssimos no Brasil, com destaque para o cumprimento dos limites regulatórios previstos na Convenção de Viena sobre Trânsito Viário.

FOMENTO

Uma da novidades do próximo período será a criação de uma pasta de Fomento, destinada a coordenar ações de marketing, incentivo e popularização do veículo elétrico no Brasil.

A nova pasta está sendo estruturada pelo presidente Ricardo Guggisberg e ainda não tem um coordenador indicado.

A ABVE foi fundada em 2006 e hoje reúne 46 empresas e pesquisadores, que recobrem toda a cadeia produtiva do veículo elétrico no Brasil.

A entidade atua em seis segmentos: veículos pesados, leves, levíssimos, componentes, infraestrutura e, agora, fomento.