Uma “volta olímpica” de veículos elétricos na Praça Charles Miller, em São Paulo, encerrou na tarde deste sábado, 25/9, o 16ª VE Latino-Americano.

Foi o principal evento público sobre eletromobilidade no Brasil nesses dois anos de pandemia.

Mais de 30 empresas montaram seus estandes em tendas ao ar livre, que foram visitados por mais de quatro mil pessoas em três dias.

CARREATA

O VE Latino-Americano fez parte da Semana da Mobilidade Elétrica, que culminou, no sábado, com a carreata do veículo elétrico.

A carreata começou em frente ao Clube da Sabesp, na Rua 13 de Maio, na Bela Vista, percorreu toda a Avenida Paulista, desceu a Rua Major Natanael e terminou em frente ao Estádio do Pacaembu, com a “volta olimpica” no pátio de estacionamento da Praça Charles Miller.

Participaram veículos em exposição no VE e outros, entre eles vários automóveis e minicarros elétricos, patinetes e monociclos elétricos.

Os destaques foram o carro-forte elétrico da Protege, os ônibus elétricos e-Bus e híbrido Dual-Bus da Metra e os caminhões elétricos retrofitados da Ambev e da Femsa, todos com tecnologia da Eletra.

A Stellantis, recém-filiada à ABVE, apresentou seus novos veículos elétricos que serão comercializados no mercado brasileiro, entre eles o Fiat 500e.

A Cicloway exibiu uma ampla variedade de diciclos e triciclos elétricos, além de pequenos veículos de carga e logística, todos elétricos.

Outro destaque foi o Tesla Model Y, exibido no estande da MUUV, outra associada recente da ABVE.

Empresas importantes como BYD, Nissan, Enel, Tupinambá Energia, Electric Mobility Brasil, Riba Brasil e outras também apresentaram seus produtos e veículos.

Das 33 empresas que participaram do VE deste ano, pelo menos 16 eram associadas à ABVE, que também tinha um estande na praça.

C-MOVE

Em paralelo ao VE, entre os dias 22 e 24, ocorreu também o C-Move, ciclo de palestras sobre eletromobilidade, em formato virtual e presencial (no auditório do Museu do Futebol, dentro do Estádio do Pacaembu).

Durante três dias, o C-Move reuniu 130 especialistas brasileiros e estrangeiros, autoridades públicas e lideranças empresariais.

Entre elas, vários diretores da ABVE, como Adalberto Maluf, presidente (BYD), Iêda de Oliveira, diretora de Pesados (Eletra), Rui Almeida, vice-presidente de Levíssimos (Riba), Paulo Maisonnave, vice-presidente de Infraestrutura (Enel X), Thiago Sugahara, vice-presidente de Leves (Toyota) e Carlos Diego, diretor de Infraestrutura (Copel).

Já com 16 edições, o VE-Latino-Americano é a mais importante feira de veículos elétricos da América Latina.

Nos últimos anos, só não foi realizada em 2020, por causa da Covid-19. Este ano, porém, foi retomada em novo formato, com tendas ao ar livre.

Todos os protocolos sanitários exigidos pela Prefeitura foram atendidos: os participantes e o público tinham de apresentar comprovante de vacinação contra a Covid e usar máscaras em todos os ambientes do VE.

ANIMAÇÃO

O VE é uma iniciativa da MES Eventos, empresa de marketing associada à ABVE e dirigida pelo ex-presidente da associação, Ricardo Guggisberg.

“Apesar de todas as dificuldades que vivemos nos últimos meses e das limitações impostas pela pandemia, conseguimos realizar um evento seguro e, mais uma vez, bastante relevante para o mercado brasileiro da eletromobilidade” – disse Guggisberg.

“O VE reuniu fabricantes, importadores, fornecedores do setor, membros do governo e da academia, diversas entidades deste segmento e, também, consumidores finais que estão cada vez mais interessados em conhecer os benefícios dos veículos elétricos”.

Iêda de Oliveira, diretora da Eletra e coordenadora do Grupo de Veículos Pesados da ABVE, concordou.

“O resultado foi muito positivo, foi uma oportunidade de conhecer vários players desse mercado, o que deixou o debate muito rico”.

Márcio Canzian, diretor da Eletricz e diretor de Levíssimos da ABVE, também achou o evento muito positivo para o setor, especialmente a carreata do Dia da Mobilidade Elétrica, no sábado, 25.

O Dia da Mobilidade Elétrica reuniu uma galera animada e unida, todos em prol do desenvolvimento do nosso setor”.