Notícia

16/10/2017

De acordo com Masaki Sakuyama, CEO da Mitsubishi Motors, os carros elétricos podem alcançar um nível de preço inferior ao dos carros comuns, movidos por gasolina. Para o executivo japonês, o principal fator que torna caro esse tipo de automóvel é a bateria, mas esse custo enorme pode cair conforme a demanda aumenta no mercado mundial. Sakuyama diz: “O custo da bateria agora está caindo muito rapidamente, então, no futuro próximo, o custo do veículo elétrico será comparável aos carros convencionais”. Segundo o chefe da Mitsubishi, conforme mais cidades e países reduzem a circulação de carros movidos por gasolina ou diesel, bem como anunciam o fim da comercialização dos mesmos, a tendência é um aumento expressivo nas vendas de carros elétricos e híbridos, o que ajudará na redução dos custos. Além disso, para o líder nipônico, os custos de produção das baterias chegarão a um nível inferior ao necessário para produção de motores de combustão interna. Uma questão importante nessa mudança de rumo do mercado automotivo mundial é o custo em tecnologia para se manter um motor a gasolina limpo diante de normas ambientais cada vez mais rigorosas. Assim, os custos tenderão a crescer para motores convencionais, especialmente os diesel. A redução no consumo de combustível, mais os incentivos fiscais governamentais, facilitam a introdução do carro elétrico no cotidiano das pessoas. Outro fator é a competição pelo novo mercado. Acontece que o mercado automotivo nos moldes atuais tem de certa forma, espaço para os fabricantes já estabelecidos. Mas, o mercado futuro de carros elétricos ainda é uma incógnita, apesar das projeções mundiais. Isso porque existe o movimento para o compartilhamento, com uma redução esperada nas vendas para os consumidores, já que a condução autônoma tornará o uso do automóvel acessível para qualquer pessoa. Nesse ambiente, quem for competitivo levará vantagem. E isso se traduz em um volume maior de veículos oferecidos ao mercado. Quanto mais, menor o custo e melhor o preço para as empresas que vão operar tais veículos. Na Mitsubishi, a estratégia da marca é direcionar os produtos futuros para a nova realidade do mercado mundial, apesar de atualmente produzir o já pouco eficiente MiEV, que surgiu como um dos primeiros carros elétricos de massa do mundo. Com a aquisição do controle da Mitsubishi Motors pela Nissan, a divisão Mitsubishi Electric deixou de fazer parte da empresa, mas Sakuyama diz que ela agora é um fornecedor do fabricante de veículos e está desenvolvendo novas baterias e motores elétricos, que equiparão os futuros carros elétricos da marca nos próximos anos.

Fonte - Noticias Automotivas