Notícia

Secretário do Meio Ambiente de SP reafirma compromisso com frota verde de ônibus

17/02/2017

Gilberto Natalini diz que gestão Doria combaterá “com coragem” as mudanças climáticas, estimulando veículos elétricos, híbridos e trólebus O secretário do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, Gilberto Natalini, disse que a nova administração paulistana está comprometida com o objetivo de renovar a frota municipal de ônibus, com a adoção de veículos movidos a combustíveis majoritariamente não fósseis, como os elétricos e híbridos. Em entrevista exclusiva ao site da ABVE, o secretário afirmou que é “compromisso público” do atual governo “combater com coragem as mudanças climáticas e a poluição do ar que resulta em 4.500 óbitos precoces por ano, só na capital paulista”. Reconheceu que as dificuldades econômicas obrigarão a uma transição gradativa rumo a uma frota inteiramente sustentável, mas reafirmou “a vontade política” da nova gestão de mudar a matriz de combustível do transporte público. EDITAL Natalini garantiu que a Prefeiturá irá rever o edital de renovação dos contratos da frota paulistana e incorporar diretrizes ambientais previstas na Lei 14.933, que criou a Política Municipal de Mudanças Climáticas. O secretário preferiu não antecipar qual será o novo cronograma de renovação da frota. Ele está trabalhando em conjunto com o secretário de Mobilidade e Transportes, Sergio Avelleda, a quem caberá relançar o edital ainda este ano. A Lei 14.933, de 2009, fixou uma meta ousada de conversão total dos 15 mil ônibus que circulam em São Paulo para veículos movidos a combustível não fóssil até 2018, ou seja, em dez anos. A meta se mostrou inexequível, principalmente depois do fim do programa Ecofrota, a partir de 2014, e por conta do atraso na renovação dos contratos com as operadoras de transporte coletivo de São Paulo. A administração anterior tentou lançar sucessivamente um novo edital, mas sem o cronograma de ações ambientais previstas na Lei 14.933. A última tentativa foi barrada pelo Tribunal de Contas do Município em julho do ano passado. Para contornar o impasse legal decorrente do descumprimento da lei, Gilberto Natalini está colhendo sugestões para atualizar um antigo Projeto de Lei que ele mesmo apresentou à Câmara Municipal em 2003. O PL 216 redefinirá as novas metas para se chegar à frota 100% verde em São Paulo. Como “solução-ponte”, o texto provavelmente incentivará o uso do combustível B20 (mistura de 20% de biodiesel ao diesel nos ônibus convencionais) e retomará o programa de criação de frotas-piloto de ônibus elétricos, híbridos , a etanol, a gás etc, para permitir a avaliação do desempenho de cada tecnologia, como previa o Ecofrota. Clique abaixo para ler a conversa na íntegra.

Fonte - ABVE