Surpreendida pela neve que cobriu a cidade em fevereiro, a prefeita de Roma, Virginia Raggi, decidiu proibir veículos a diesel no centro da capital italiana até 2024.

A medida deverá acelerar a transição dos carros movidos a combustíveis fósseis para veículos elétricos na Europa.

Frio inesperado acelerou as medidas da Prefeitura contra as mudanças climáticas

Virginia Raggi assumiu esse compromisso na Conferência C40, evento bienal que reúne os prefeitos de 40 das maiores metrópoles do mundo na Cidade do México, no dia 27/2.

EXEMPLO

Roma segue o exemplo de Madri, Paris, Atenas e da própria Cidade do México, que na C40 de 2016 já haviam anunciado o banimento do diesel de suas áreas centrais até 2025.

Nenhuma delas, porém, é tão radical quanto Oslo, capital da Noruega, que promete a mesma medida já para 2019.

Em Copenhague, capital da Dinamarca, o prefeito local anunciou que pretende adotar proibição semelhante, também para 2019.

A decisão da prefeita de Roma foi divulgada em meio ao inverno mais rigoroso dos últimos seis anos na Itália (foto) , que cobriu a capital de neve, surpreendendo seus moradores.

“As alterações climáticas estão mudando os nossos hábitos de vida. As nossas cidades correm o risco de enfrentar desafios inesperados” – escreveu ela em sua página no Facebook.

“Se queremos intervir seriamente (para controlar as mudanças climáticas), temos de ter a coragem de tomar medidas fortes. É preciso agir sobre as causas e não apenas sobre os efeitos”.

Milão, outra importante cidade italiana, também planeja o banimento do diesel para 2030, segundo autoridades municipais. Mas o prefeito Giuseppe Sala ainda não confirmou.

ALEMANHA

O anúncio de Virginia Raggi ocorreu no mesmo dia em que o Tribunal Administrativo Federal da Alemanha decidiu que as cidades do país têm o direito de banir os carros a diesel das ruas para controlar a poluição.

O veredicto – sobre o qual não cabem recursos – deverá obrigar as autoridades de duas das cidades mais poluídas da Alemanha, Stuttgart e Düsseldorf, a proibir a circulação de veículos a diesel.

As decisões são um duro golpe na tradicional indústria automobilística europeia, especialmente a alemã e italiana.

Na prática, os 15 milhões de carros a diesel em circulação na Europa correm o risco de virar peças de museu – inclusive os modelos mais novos, dotados de catalisadores e filtros de poluição.

Só na Itália, a indústria vendeu 1,2 milhão de veículos a diesel em 2017 – mais de 60% do total.

A advogada Virginia Raggi, 39 anos, é a primeira mulher a dirigir a Prefeitura de Roma.

Foi eleita em 2016 pelo partido Cinco Estrelas, originalmente um movimento contra a política tradicional, criado pelo humorista Beppe Grillo.

Com cerca de 28% nas pesquisas, o Cinco Estrelas lidera as eleições parlamentares de domingo (4/3) que escolherão o próximo primeiro-ministro italiano.